quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Tirando da Estante: Sinos da Agonia (Autran Dourado)


    Hoje resolvi tirar da estante um livro que tive o prazer de descobrir há 2 anos: Os Sinos da Agonia, obra de  Autran Dourado .

   Escrita em 1974, a história narra um amor incestuoso dentro de uma concepção multiperspectivista, ou seja, na qual existem diversos pontos de vista em conflito. Desse modo, cada uma das jornadas presentes no livro é vivenciada por um personagem - A Farsa (visão de Januário), Filha do Sol, da Luz (visão de Malvina) e O Destino do Passado (visão de Gaspar) – que expõe seus desejos e aflições, e assim vão de encontro ao desfecho intitulado A Roda do Tempo.

   Ao trazer à tona constantemente as oscilações sentimentais dos personagens, Dourado vai nos mostrando que eles têm a consciência da mudança de todas as coisas, ou melhor, que eles podem se transformar no tempo por meio da experiência.

   "Pra ser franco, nem mesmo Inácia queria me ver. Se você tivesse me contado (Januário rebuscava possibilidades passadas), as coisas podiam ter sido diferentes."( p. 326)         
                                             
    Por fim, o que mais me chama atenção neste romance é a estrutura apresentada, pois nota-se que o autor rompe com o modelo tradicional – bem x mal ou herói x vilão – mostrando que não há uma verdade única e que cada personagem possui uma ambigüidade inerente.Afinal, o puro e o diabólico podem constituir uma mesma pessoa.


Por  Islayne C.
Siga-nos no Twitter :  @FolheandoPensam
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...